Aprender con Calma

En esta sección compartimos nuestro conocimiento sobre las emociones, cómo nos afectan, y cómo podemos aprender a controlarlas a ellas para que no nos controlen a nosotros.

Uma crise é um estado transitório de mal-estar intenso onde há dificuldades para manejar a situação utilizando os métodos acostumados ou conhecidos.

As crises se dão como situações a curto prazo onde a resolução aparece como algo urgente e que não pode ser adiado

O primeiro a ser considerado é se trata-se de um problema que pode resolver nesse mesmo momento:

  1. Resolver o problema se é possível
  2. Se não é possível, então lidar com a crise da melhor maneira possível

As emoções são experiências múltiplas: isso quer dizer que estão formadas por reações fisiológicas, neurológicas, sensações corporais e também pensamentos. Todos esses fenômenos constituem uma resposta emocional

Entender sua resposta emocional a diferentes eventos ajudará a diminuir a intensidade de suas emoções e a poder escutar o que elas têm para lhe dizer.

Todas as pessoas têm a capacidade de sentir as mesmas emoções. As emoções implusionam a ação, nos economizam tempo e nos ajudam a superar obstáculos.

As emoções fortes nos ajudam a superar obstáculos, e nos faz economizar tempo de reação (não temos que pensar sempre tudo).

Nossas expressões faciais e postura corporal quando estamos experimentando uma emoção, comunicam mais rápido que as palavras e informam aos demais como nos sentimos.

As emoções nos apontam as coisas que nos agradam e as que não e são sinais de que algo está ocorrendo que de alguma maneira é importante para nós.

Os fatos são aquelas coisas que efetivamente acontecem em uma situação. Nossas emoções são uma resposta a essa situação e podem variar de pessoa para pessoa.

Quando nossas emoções nos levam a ignorar os fatos pode ser um problema. As emoções podem ser muito úteis se nos levar a verificar os fatos de uma situação.

Indentificar que emoção estamos sentindo ajuda a diminuir a intensidade emocional

Uma forma de entender suas emoções é verificando os seguintes fatores:

  1. Que coisa (fora ou dentro de mim) desencadeou minha emoção
  2. O que pensei ou interpretei nesse momento
  3. O que sinto em meu corpo e o que tenho vontade de fazer
  4. O que fiz/disse realmente
  5. Quais foram as consequências (fora e dentro de mim) do que fiz ou disse

As experiências emocionais são transitórias e sempre que começam, terminam.

Todas as respostas emocionais têm um desencadeante, algo que as provoca. Identificá-lo ajuda a entender as emoções.

Quando alguém está sentindo uma emoção, pode notar mudanças nas sensações corporais. Conecte-se com seu corpo quando estiver experimentando uma emoção e observa aonde essa sensação se faz mais presente

Todas as emoções têm um sentido para quem as experimenta e depende de muitos fatores como a história de cada um e as coisas que estão ocorrendo no momento.

Podemos sentir medo mesmo quando não há uma ameaça acontecendo ou podemos sentir raiva, mesmo quando alguém está tentando ser amável. Identificar os fatos primeiro na situação é uma boa maneira de distingui-lo de nossas emoções e suposições

As habilidades de tolerância ao mal-estar ajudam a poder sustentar as emoções dolorosas sem piorar o momento.

EEm momentos de intenso mal-estar e quando não podemos resolver o problema nesse momento, distrair-se pode ser útil para regular as emoções

Poder encontrar maneiras de acalmar a nós mesmos é útil em momentos difíceis

Procure coisas (pinturas, música, sensações, leituras) que te ajudem a auto acalmar

Assim como as emoções geram mudanças corporais, as mudanças corporais também interferem sobre as emoções (o frio ou o calor, por exemplo, podem influenciar sua experiência emocional)

Há muitas maneiras de melhorar em um momento difícil, é importante que encontre as suas praticando:

  • Imaginar situações diferentes
  • Alertando a você [email protected]
  • Rezar ou praticar algo espiritual
  • Realizar uma prática de relaxamento
  • Encontrar algum significado ao que está acontecendo
  • Focar sua mente só no presente
  • Dar um tempo diferente para você [email protected]

Aceitar as experiências emocionais implica poder permanecer com ela sem ter que tirá-la imediatamente, tentando conhecê-la com curiosidade, escutando o que tem para te informar e respeitando essa emoção no momento presente para poder escolher que atitude tomar.

Nossas condutas têm eventos que as geram e consequências. Se podemos identificá-los, isso nos dará a pista de que função vem a cumprir. A função se refere ao sentido que tem essa conduta nesse contexto em que ocorre, a mudança que gera em você e nos demais. Algumas condutas problemáticas (como as condutas de auto-agressão) têm a função de aliviar o mal-estar no momento. O problema é que não costumam resolver as coisas a longo prazo e muitas vezes inclusive pioram.

Observe a intenção e, logo em seguida, o efeito que o comportamento tem sobre você e outras pessoas. Avaliar se o efeito que tem serve para alcançar a intenção a longo prazo. Avaliar se é a conduta mais efetiva para tomar neste momento

Uma das formas de se sentir menos vulerável é manter uma rotina de sono com uma alimentação balanceada. Dormir e comer mal aumentam a vulnerabilidade das emoções "negativas".

  • O que a gera? Você ou alguém que você ama são ameaçados, machucados ou atacados: um objetivo é bloqueado
  • O que penso? "É injusto", "Não deveria ser assim", "Tenho razão", "É uma falta de respeito"
  • O que sinto? Tensão no corpo, calor na cabeça, apertar os dentes
  • O que tenho vontade de fazer? Atacar, machucar ou ignorar, criticar, gritar, bater a porta
  • O que gera? Pessoas ou animais que tenham qualidades que você admira ou dá valor; Alguém que você goste ou que te atrai muito
  • O que penso? "Esta pessoa é maravilhosa", "Eu gosto dessa pessoa/ ela me entende/ ela me atrai", "Sempre estará aqui para mim/ posso contar com ela"
  • O que sinto? Seu coração bate mais rápido, você sente entusiasmo, se sente com poder, alegre, com mais energia
  • O que tenho vontade de fazer? Se aproximar, compartilhar coisas, dar coisas.
  • O que a gera? Que a sua vida, sua saúde ou seu bem-estar (ou de outras pessoas que te importam) estejam ameaçados
  • O que penso? "Estou em perigo", "As coisas podem sair mal", "Podem me machucar"
  • O que sinto? Palpitações, suor, tremor, sentir falta de ar
  • O que tenho vontade de fazer? Evitar, escapar, pedir ajuda.
  • O que a gera? Perder alguém ou algo importante
  • O que penso? "Não posso recuperá-lo", "Tenho muito pouco valor", "Não há esperança"
  • O que sinto? Pouca energia, sensação de peso, nó na garganta.
  • O que tenho vontade de fazer? Se movimentar mais devagar, ficar na cama ou em casa, evitar situações e pessoas, não querer falar, dormir muito.
  • O que a gera? Que te rejeitem, expor aspectos muito privados de sua vida, ser criticado ou colocado em evidência
  • O que penso? "Sou inferior", "Irão me excluir", "Não sou suficiente"
  • O que sinto? O rosto corar, a cara esquentando, dor na boca do estômago
  • O que tenho vontade de fazer? Me esconder, tornar-me pequeno e invisível, tampar a cara, desaparecer do lugar, evitar pessoas ou situações.
  • O que gera? Te causa dano ou pode causar dano a outros, você passa a ffazer coisas contra os seus valores, não cumprir uma promessa
  • O que penso? "Machuquei uma pessoa", "Me comportei mal", "Se eu tivesse feito outra coisa..."
  • O que sinto? Calor, incômodo, inquietude
  • O que tenho vontade de fazer? Reparar, compensar, pedir desculpas, autocastigar-se
  • O que gera? Alguém te ameaça de tirar-te algo muito importante para ti, ameaça de perder algo importante, alguém não leva você em consideração ou te ignora
  • O que penso? "Vai me deixar", "Irei perder-lo(la)", "Não sou importante para outro(a)"
  • O que sinto? Tensão muscular, palpitações.
  • O que tenho vontade de fazer? Aproximar-se, controlar, apegar-se
  • O que a gera? Outros que tem algo que você quer ou necessita ou recebem privilégios que você não os tem.
  • O que penso? "Mereço ter isso", "Me trataram injustamente", "Tenho pouco valor"
  • O que sinto? Tensão, calor, aperto nos dentes
  • O que tenho vontade de fazer? Querer tirar do outro o que tem, querer conseguir o que o outro tem, querer competir
  • O que gera? Ver ou sentir o cheiro de coisas em mal estado, um aspecto que parece desagradável, alguns comportamentos de outras pessoas que te parecem imorais.
  • O que penso? "É tóxico", "Não posso nem me aproximar!", "É repulsivo"
  • O que sinto? Náuseas, vômitos, tosse e inquietude
  • O que tenho vontade de fazer? Afastar-se, sair correndo, lavar ou limpar-se
  • O que a gera? Ter sucesso em algo, conseguir algo desejado, estar perto de pessoas que te amam, que alguém tenha sucesso em algo
  • O que penso? "Que boa é a vida", "Que estimulante é o futuro", "Que lindo momento!"
  • O que sinto? Energia corporal, ativação
  • O que tenho vontade de fazer? Sorrir, pular, compartilhar com outros a alegria, aplaudir, falar mais